MENSAGENS: Imprimir

NATAL DE 2009/2010 

“Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra aos homens por ele amados”

Fonte: Blog Canção Nova BrasíliaQueridos arquidiocesanos e demais pessoas de boa vontade: Paz e Bem!

A festa do Natal celebra a primeira vinda de Jesus, seu nascimento em Belém. Na noite santa do Natal comemoramos o mistério da encarnação do Filho de Deus, que nasce como homem do seio da Virgem Maria. É o mistério de um Deus que se faz um de nós. Verdadeiro Deus e verdadeiro homem. Os anjos cantam "Glória a Deus no mais alto dos céus e paz na terra aos homens por ele amados" (Lc 2,14).
Jesus, o Filho de Deus, feito homem, ao assumir nossa natureza humana, resgatou a dignidade de todo ser humano, desde sua concepção até a morte natural.

A celebração do Natal ultrapassa os limites de nossas comunidades cristãs, para tornar-se uma festa comemorada por todas as famílias. Porém, deve prevalecer o seu caráter religioso, evitando-se torná-la apenas numa festa consumista e profana, o que seria uma afronta a tantos irmãos e irmãs pobres que nos circundam.
A celebração do Natal e Ano Novo deve chamar a nossa atenção, de modo especial, para a questão da paz na família, na sociedade e no mundo. Quantas vidas, sobretudo jovens, ceifadas ultimamente em nossa região do Sudoeste! Digamos não à violência!
O Natal, por si, contém sempre uma mensagem de paz e de reconciliação. Jesus nasce para reconciliar homens e mulheres com Deus e entre si. Jesus anuncia a fraternidade, a dignidade inviolável de cada ser humano, o direito à vida e a uma vida digna, Jesus anuncia o perdão e a não violência.
A celebração do Natal e Ano Novo também deve nos reportar à questão da solidariedade para com os pobres, que está em íntima conexão com a questão da paz. A paz só será duradoura ou concretizada quando for construída sobre a justiça, o direito e o perdão. A discriminação ou exclusão de irmãos e irmãs, na família, na comunidade, no trabalho, onde quer que seja é um atentado contra qualquer projeto de paz. O combate à fome e à miséria, ao desemprego, à exclusão social deve continuar em nosso meio, em nosso país e no mundo.
    O Natal manifesta que o Filho de Deus, feito homem, Jesus Cristo, nasceu pobre entre os pobres e, ao assumir nossa natureza humana, resgatou a dignidade de todo ser humano. Assim sendo, o Natal nos adverte que são os pobres que merecem em primeiro lugar nosso amor e solidariedade.

    Desejamos a todos um santo Natal e abençoado Ano Novo!

Dom Luís Gonzaga S. Pepeu, ofmcap
ARCEBISPO DE VITÓRIA DA CONQUISTA