Home » Notícias » ANO SANTO DA MISERICÓRDIA
 
ANO SANTO DA MISERICÓRDIA Imprimir E-mail
Qua, 20 de Janeiro de 2016 22:11

2016

ANO SANTO DA MISERICÓRDIA

 

"PORTA DA MISERICÓRDIA"

Catedral de Vitória da Conquista

Arcebispo Dom Luís Pepeu

 

 

NOTÍCIAS DE JANEIRO 2016

 

Dia 20 - FESTA DE SÃO SEBASTIÃO EM ITAMBÉ


Itambé está celebrando nesta quarta-feira, dia 20, a Festa do Padroeiro da Paróquia e do Município: São Sebastião. Às 9 horas da manhã, o Arcebispo Metropolitano, Dom Luís Pepeu, presidiu a Celebração Eucarística, com caráter de solenidade, em honra ao glorioso mártir São Sebastião, tendo sido concelebrada pelo Pároco, o Pe. Juracy Marden, bem como por alguns sacerdotes filhos dessa Paróquia, os Padres Joselito e Black, além do Pe. José Carlos da Arquidiocese de Salvador. Neste ano, a Festa do Padroeiro São Sebastião assume um toque muito especial, uma vez que a Paróquia está celebrando 80 anos de criação. No início da celebração, Dom Luís dirigiu uma calorosa saudação ao Pároco, aos Padres presentes, Diácono Permanente de Salvador, Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, Coroinhas, Autoridades Civis e fiéis e devotos de São Sebastião. A Igreja estava superlotada de fiéis provenientes das diversas comunidades rurais e urbanas. Na homilia, Dom Luís exaltou a figura de São Sebastião como o anunciador da misericórdia de Deus, modelo de fé, coragem, constância e misericórdia. Destacou também que a celebração é um momento de grande alegria, momento de júbilo, pois São Sebastião é o Padroeiro da cidade e da Paróquia de Itambé. Ressaltou ainda que este é um tempo de graça e de bênçãos, pois é a celebração festiva dos 80 anos de criação e de caminhada da Paróquia, uma caminhada de fé e de esperança. Partindo das leituras propostas para a solenidade, Dom Luís dirigiu uma mensagem aos presentes, exortando-os a viver o testemunho dos valores do Evangelho, lembrando que uma das maiores responsabilidades do discipulado deve ser a vivência de forma radical destes mesmos valores e o testemunho da verdade anunciada por Jesus. No espírito da celebração do Jubileu Extraordinário, a festa de São Sebastião neste ano foi iluminada pelo tema do Ano Santo da Misericórdia: “O rosto Misericordioso (Misericordiae Vultus) de Deus”. Dom Luís, então, na homilia, fez uma referência a este grande acontecimento da Igreja, lembrando que, através da celebração do Ano Santo, todos saibam acolher e transmitir o amor de Deus, amor que perdoa, acolhe, redime, liberta, fortalece e envia em missão. Após a celebração da Santa Missa, Dom Luís foi cumprimentado por muitos fiéis que irradiavam grande alegria. Foi, de fato, um momento muito abençoado neste dia de São Sebastião. Os fiéis e devotos retornaram às suas casas muito tocados pela graça de Deus.


Dia 19 - TRÍDUO NA COMUNIDADE SÃO SEBASTIÃO, PARÓQUIA DA CATEDRAL NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS


Nesta segunda-feira (19), Dom Luís celebrou a Santa Missa na Comunidade São Sebastião, Paróquia da Catedral, contando com a presença e participação de grande número de fiéis e devotos do glorioso mártir, herói valoroso da fé. Era o último dia do Tríduo em preparação para a Festa de São Sebastião promovida pela Comunidade. No espírito do Jubileu da Misericórdia, o tema norteador da Festa faz uma exortação à Comunidade para que, iluminada pela Palavra e sustentada pela Eucaristia, seja agente da Misericórdia Divina. Dom Luís, na homilia, exortou os fiéis e devotos de São Sebastião a se inspirarem pelo testemunho deste jovem cristão que, por amor e pelo anúncio, enfrentou corajosamente o martírio em nome de Cristo. O imperativo a ser promotor da Misericórdia, acolhendo sem distinção, é o convite da Igreja a cada cristão para que tenha um coração humilde e compassivo, capaz de anunciar e testemunhar a misericórdia. A atitude de acolher sem distinção é o grande passo para derrubar as barreiras e obstáculos da indiferença, tornando-se solidário ao grito de angústia da humanidade sofredora. Também nos tempos de hoje, São Sebastião é modelo de fé, coragem, constância e disponibilidade para os fiéis e seus devotos. Este glorioso mártir continua a falar através de sua vida e de sua morte. O seu exemplo de vida e o martírio padecido fortaleceram e encorajaram muitos do seu tempo que se sentiam cansados e abatidos pela perseguição religiosa. Em meio a tantas adversidades, o cristão hoje é convidado a olhar e contemplar o exemplo de São Sebastião e não se deixar abater pelo desânimo. Enfim, o cristão deve ter uma fé firme e sólida e, pela sua atitude de acolhimento misericordioso, combater todas as forças do mal, da violência, da falta de amor, todas as tramas e pervesidades.


Dia 17 - NOVENÁRIO PARA A FESTA DE SÃO PAULO APÓSTOLO EM CAATIBA


Hoje (domingo, 17), na Paróquia São Paulo Apóstolo em Caatiba, Dom Luís presidiu a Santa Eucaristia dentro do Novenário em preparação à Festa do seu Padroeiro que acontecerá no próximo dia 25, quando a Igreja celebra a festa litúrgica da Conversão de São Paulo, Apóstolo. No início da celebração, Dom Luís dirigiu uma saudação ao Pároco Pe. Joselito, aos membros da Comissão de Festa, às equipes de trabalho e aos paroquianos em geral. A liturgia foi a própria do dia, o 2º. Domingo do Tempo Comum. Dom Luís, em sua homilia, tomando como ponto de partida as leituras proclamadas, destacou que a liturgia deste domingo expressa de forma privilegiada, na imagem do casamento, a relação de amor que Deus estabeleceu com o seu Povo. o Evangelho, no contexto de um casamento, apresenta um “sinal” que aponta para o essencial do “programa” de Jesus: apresentar aos homens o Pai que os ama e os convoca para a alegria e a felicidade plenas. No espírito do Jubileu da Misericórdia e em sintonia com a Palavra de Deus, que apresenta como questão fundamental a revelação do amor de Deus, Dom Luís também refletiu sobre o tema deste Ano Santo, o rosto da Misericórdia: “Misericordiae Vultus”, ressaltando, inicialmente, o significado todo especial do Jubileu que indica a esperança de realização do tempo messiânico. Passa a sublinhar, em seguida, alguns elementos significativos. Em primeiro lugar, destaca que o anúncio e a prática da Misericórdia é uma missão urgente da Igreja, que deve ser vivenciada como solidariedade. Depois, ressaltou a importância da Peregrinação como caminho e sinal de conversão. Nesta perspectiva, exortou a Comunidade Paroquial a vivenciar este tempo forte da Igreja, o Ano Santo da Misericórdia, preparando-se para passar pela “Porta Santa” como sinal que aponta para a missão cristã de converter a própria existência em contínuo ingresso na vida nova dos filhos de Deus. Por último, a Vivência do Perdão. Aqui, faz-se um apelo especial a vivenciar a dimensão do perdão com mais intensidade na quaresma deste Ano Santo através, sobretudo, do sacramento da Reconciliação.


Dia 16 - CELEBRAÇÃO DA CRISMA NA FESTA DE SÃO SEBASTIÃO EM BELO CAMPO


Dom Luís Pepeu, neste sábado (16), realizou Crisma na Paróquia São Sebastião de Belo Campo. Ele foi acolhido pelo pároco, o Pe. Alexandre, e por uma multidão de fiéis que superlotava o Centro de Evangelização da Paróquia, anexo da Igreja Matriz de São Sebastião. Foi um grande grupo de crismandos totalizando 107 jovens, na sua maioria, provenientes de sete Comunidades Rurais da Paróquia e diversos grupos de catequese do Centro. A celebração do Sacramento da Crisma fez parte também do Novenário (7ª. noite) que está sendo realizado na Paróquia em preparação à festa do excelso padroeiro, o glorioso mártir São Sebastião. A Novena deste ano está acontecendo em clima de fé, esperança e alegria no contexto do Jubileu extraordinário da Igreja, o Ano Santo da Misericórdia, e já em clima de festa pelos 40 anos da criação (18 de abril de 1976) da Paróquia São Sebastião, cuja ata de instalação deu-se aos 24 de julho de 1977. Nesta 7ª. noite da novena, cuja Celebração Eucarística foi presidida pelo Arcebispo Dom Luís e concelebrada pelo pároco Pe. Alexandre e por Frei Dimas, na perspectiva da celebração do Ano da Misericórdia, teve-se a proposição do seguinte tema norteador da meditação: “Missionários da misericórdia no relacionamento familiar, suportando com paciência as adversidades da caminhada”. Em sua homilia, Dom Luís destacou a importância da família na vida e na caminhada da Igreja, cabendo-lhe o primeiro lugar do anúncio da misericórdia de Deus. Referiu-se às muitas ameaças do mundo moderno que colocam em crise o verdadeiro sentido da família. Citando o Papa São João Paulo II, falou da família como “santuário da vida”, “base da sociedade e lugar onde as pessoas aprendem pela primeira vez os valores que as guiarão toda a vida”. Lembrou também que Jubileu é um tempo santo que deve ser vivido pelo cristão em clima de intensa alegria e em atitude de conversão nesta busca constante de ser misericordioso como o Pai. Aos jovens crismandos, lançou um apelo a assumirem com a maturidade que distingue este Sacramento de Iniciação Cristã a responsabilidade como membros vivos da Igreja, discípulos missionários, renovados pela força do Espírito Santo, dedicando-se ao serviço de todos em continuidade com a missão de Jesus Cristo. No final da celebração, Dom Luís agradeceu a todos pelo grande empenho na preparação e realização do novenário. Agradeceu, em particular, aos catequistas pela grande dedicação no edificante trabalho de catequese. Um agradecimento especial foi reservado ao Pe. Alexandre pelo seu zelo pastoral à frente dos trabalhos da Paróquia.


Dia 3 - ARCEBISPO CELEBRA A SOLENIDADE DA EPIFANIA DO SENHOR NA CATEDRAL EM VITÓRIA DA CONQUISTA


Na manhã deste domingo (3), Solenidade da Epifania do Senhor, conhecida também como a festa dos Reis Magos, Dom Luís presidiu a Santa Missa na Igreja Catedral. Muitos fiéis participaram desta celebração, deixando a Catedral repleta. Na Solenidade da Epifania, a Igreja celebra a manifestação de Jesus Salvador a todos os povos e a todas as nações. Na homilia, Dom Luís sublinhou que Jesus se revela como “a luz” que atrai a Si todos os povos da terra, a luz que vence as trevas, dando um novo rosto ao mundo. Cristo é a revelação e a realização plena do projeto de Deus para a salvação, realidade esta destinada a todos os povos. Os “Magos”, atentos aos sinais da chegada do Messias, guiados pela estrela, vão ao encontro de Jesus e o aceitam como “salvação de Deus”, adorando-o. Os “Magos” são apresentados como os “homens dos sinais”, que sabem ver na “estrela” o sinal da chegada da libertação. Segundo o relato de Mateus, os “Magos” deram uma lição de “desinstalação”: viram a estrela, deixaram tudo e foram procurar Jesus. Em suas últimas palavras, Dom Luís destacou que os “Magos” representam os homens e mulheres de todo o mundo que vão ao encontro de Cristo e que se prostram diante d’Ele. É, por fim, a imagem da Igreja, a família de irmãos de muitas cores e raças, que aderem a Jesus e que O reconhecem como o “Senhor”.


Dia 2 - DOM LUÍS PEPEU PARTICIPA DO NOVENÁRIO DA FESTA DO SENHOR DO BONFIM EM PLANALTO


Na noite deste sábado (2), segundo dia do novenário em preparação à festa do Senhor do Bonfim, excelso Padroeiro da Paróquia Senhor do Bonfim e Santa Rita, na cidade de Planalto, Dom Luís Pepeu presidiu a Eucaristia, concelebrada pelo Pe. Irineu, Pároco, contando com a diaconia do diácono permanente Luciano Lima. Neste ano, a festa do padroeiro está sendo celebrada dentro do contexto do “Ano Santo da Misericórdia” e o novenário, por sua vez, está refletindo sobre as Obras de Misericórdia corporais e espirituais. Em sua homilia, Dom Luís Pepeu, com base nos textos bíblicos próprios da liturgia do dia, fez referência a João Batista, lembrando que é uma figura muito presente em nossos corações no contexto deste tempo natalino. Ressaltou que a sua grandeza está na profunda humildade de coração, na sua pequenez diante de Deus. Nada é mais agradável a Deus do que um coração humilde. Acrescentou que, neste Ano da Misericórdia, é importante reconhecer que a humildade nos mantém unidos a Deus, ajuda-nos a reconhecer nossas próprias fraquezas, nossos erros e limites. De acordo com o tema proposto para esta 2ª. noite do novenário, Dom Luís refletiu sobre a 4ª. Obra de Misericórdia espiritual: “Confortar (Fortalecer os angustiados e abatidos) ou Consolar os aflitos ou os tristes”. Nos dias atuais, a vida de muitas pessoas é minada pelo desânimo, pela angústia, pelo medo, pela tristeza. É nosso dever cristão confortar os que necessitam. Devemos nos sensibilizar com a fraqueza do outro, abrir o nosso coração diante das tragédias alheias, abrir os ouvidos para escutar os soluços dos que sofrem, enxugar as lágrimas dos que choram, estender a mão aos que tropeçam e caem. Consolar os aflitos como obra de misericórdia deve ser uma virtude cristã a ser exercitada no cotidiano de nossas vidas. A devoção ao Senhor do Bonfim na cidade de Planalto é muito forte. Muitos fiéis participaram da Santa Missa nesta 2ª. noite da novena, deixando a igreja superlotada. A celebração foi bem preparada pelo Pe. Irineu, contando com a colaboração das diversas equipes de trabalho da paróquia.


Dia 1º. - ABERTURA DA FESTA DO SENHOR DO BONFIM EM BARRA DO CHOÇA


Na noite de hoje, 1º. dia do ano novo, Dom Luís Pepeu foi a Paróquia Senhor do Bonfim e Santo Antônio em Barra do Choça para presidir a Santa Missa de abertura do novenário em preparação à Festa do Excelso Padroeiro, o Senhor do Bonfim. O Arcebispo foi acolhido pelo Pároco, o Pe. Paulo Raimundo. Além da presença de Pe. Paulo, que concelebrou com Dom Luís, este primeiro dia da novena contou com a presença fervorosa de um grande número de fiéis e devotos do Senhor do Bonfim. O tema da festa deste ano, no horizonte e em sintonia com o extraordinário acontecimento eclesial, a celebração do Ano Santo da Misericórdia, é um convite dirigido à Comunidade Paroquial a subir ao “Altar Sagrado para encontrar Jesus, o Senhor do Bonfim, rosto misericordioso do Pai” e fazer a experiência da Misericórdia de Deus em gestos concretos de solidariedade. Com esta grande motivação e dentro do contexto dos vários motivos que a liturgia nos apresenta para a celebração deste primeiro dia do ano, o Arcebispo, em sua homilia, ressaltou que Jesus Misericordioso anuncia e proclama a paz. Encontrar-se com Jesus é viver a sua paz. No entanto, este encontro com Jesus, que desperta para o seguimento, somente é possível com um coração misericordioso. Através do Novenário e da Festa do Senhor do Bonfim, somos convidados a redescobrir em Cristo o rosto misericordioso do Pai: daquele que é “Pai da misericórdia e Deus de toda a consolação” (2Cor 1,3), preparando-nos para dedicar a nossa vida e missão à Misericórdia de Deus. A primeira noite da novena contou com a animação do Apostolado da Oração, Movimento Mãe Rainha e Pastoral da Pessoa Idosa. A liturgia, preparada pelo Pe. Paulo e pelas diversas equipes da paróquia, foi primorosa e bem participativa.


Dia 1º. - ARCEBISPO CELEBRA PRIMEIRA MISSA DO ANO NOVO NA CATEDRAL DE VITÓRIA DA CONQUISTA


Na manhã deste primeiro dia do novo ano civil, Solenidade da Santa Mãe de Deus, Maria, e DIA MUNDIAL DA PAZ, o Arcebispo Dom Luís Pepeu presidiu a Santa Missa na Igreja Catedral Nossa Senhora das Vitórias, em Vitória da Conquista. A celebração contou com a diaconia de Luciano Lima, diácono permanente. Muitos fiéis participaram desta primeira missa na Igreja Catedral, momento especial de oração em agradecimento pelo ano que passou e também de auspiciosos pedidos para o ano de 2016. Dom Luís Pepeu lembrou os vários motivos que a liturgia nos apresenta para esta celebração. Em primeiro lugar, destacou a Solenidade da Mãe de Deus, levando os fiéis a contemplar a figura de Maria, que, com o seu “sim” ao projeto de Deus, oferece Jesus, o Salvador. A exemplo de Maria, disse o Arcebispo em sua homilia, somos chamados a ter a sensibilidade de estar atentos à vida e de perceber a presença discreta, mas significativa, atuante e transformadora de Deus nos acontecimentos simples do dia a dia. Um segundo destaque da celebração de hoje é o Dia Mundial da Paz. O Arcebispo lembrou que esta comemoração teve início com Paulo VI, em 1968. A intenção da Igreja é que todos os cristãos, no mundo inteiro, rezassem pela Paz. É preciso construir a cultura da não-violência e trabalhar pela promoção da Paz. Citando a mensagem do Santo Padre, o Papa Francisco, para a celebração do XLIX (49º.) Dia Mundial da Paz, Dom Luís destacou que a paz é dom de Deus, mas confiado ao ser humano. Como artífices da paz, somos chamados a tornar realidade este dom de Deus no mundo em que vivemos, sobretudo vencendo todas as formas de indiferença. Por fim, a liturgia de hoje celebra o primeiro dia do ano civil, recordando, assim, que devemos continuar nossa caminhada sempre de mãos dadas com um Deus que não nos é indiferente e nunca nos deixa, mas em cada dia nos cumula da sua bênção e nos oferece a vida em plenitude. Todos estes motivos da celebração litúrgica de hoje, sublinhou o Arcebispo, são enriquecidos e iluminados pelo Ano Santo da Misericórdia, recentemente proclamado pelo Papa Francisco. Hoje, 1º. Dia do Ano - Ano Novo! É vida que segue, vida que se renova: sonhos e projetos, esperanças e realizações! Neste Dia Mundial da Paz, invoquemos a bênção do Senhor, o Deus de bondade e de misericórdia, o Pai que nos plenifica de bens, através de seu Filho Jesus, e que, pelo Filho, nos reconcilia e pacifica consigo: Que Ele nos abençoe e nos guarde, nos ilumine e de nós tenha misericórdia, nos mostre a sua face de Pai e nos dê a Paz!